Balanço PECNORDESTE 2019

Mais de 80 caravanas de diversos municípios do Estado, com um total de 4 mil participantes, entre produtores e estudantes de diversas escolas técnicas federais e de Universidades, que também apresentaram trabalhos científicos durante os dias 13 e 14, o XXIII Seminário Nordestino de Pecuária, segundo seus organizadores, superou as expectativas. Para o Presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará, Flávio Viriato de Saboya Neto, o PECNORDESTE se consolida como o maior evento técnico científico do Nordeste. Este ano, a grande novidade foi a apresentação de Trabalhos Científicos, que recebeu 103 resumos e apresentou, durante o evento, 83 trabalhos, em formato de pôsteres, de diversas áreas do conhecimento, como alimentação animal, nutrição, caprinovinocultura, suinocultura e equinocultura. Os melhores trabalhos receberam certificado de menção honrosa e a possibilidade de realizar uma palestra na edição de 2020 do evento. Além disso, o evento apresentou no showroom 7 tecnologias apropriadas ao semiárido, que receberam uma premiação ao final do evento. Em primeiro lugar ficaram os ex-alunos da rede e-Tec Polo Quixadá, Erlan Weine e Rosângela Maria com a tecnologia de Avaliação do Efeito da Rampa de Aeração na Redução do Teor de Ferro em Poço Tubular Raso: Estudo de Caso em Cariús-CE. O segundo lugar ficou com o Biodigestor Caseiro, feito pela Amanda Jackellynne Vaz da Silva, da FATEC Cariri. O terceiro Lugar ficou com João Arquimedes Bastos, da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior, com a Unidade de Processamento de Madeira de Cajueiro para a Produção de Materiais Apícolas e Componentes de Pallets. Indagado sobre a repercussão financeira do evento, o presidente da FAEC disse que apesar de não ser o propósito do evento, é realizada dentro do mesmo uma Feira de Produtos e Serviços Agropecuários onde são expostos e vendidos diversos produtos, incluindo venda de veículos, equipamentos, ração para animais, aves, suínos, caprinos e equinos, bovinos. Temos todos os anos a Feira da Agricultura Familiar, que este ano contou com 10 expositores. No balanço geral, esta Feira proporcionou a geração de muitos empregos e de vendas em torno de R$ 1 milhão e meio de reais, pois somente na venda de veículos os representantes informaram que foram prospectados mais de 300 veículos para depois da feira e comercializados 6 caminhonetes, disse o vice-presidente de administração e finanças da FAEC, Carlos Bezerra Filho. Segundo os expositores, foram vendidos cerca de 600 pintos da raça pequena e 80 da raça grande, e grandes quantidades de ração, além de 250 garrafas de cachaça, mais de 100 produtos artesanais entre doces, mel, pomadas, sabonetes, além de 400 kg de mel e 80 kg de castanhas, todos disponíveis para venda durante os três dias de Feira de Produtos e de Serviços Agropecuários. Ao fazer um balanço da participação do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – SENAR-CE, um dos promotores do PECNORDESTE, o Superintendente, Sérgio Oliveira da Silva, disse que o SENAR trouxe 11 oficinas nas áreas de promoção social e no espaço do queijo, oficinas de derivados do leite, levando capacitação para mais de 600 pessoas. Além disso, ele destacou a formatura de 91 técnicos em agronegócio, que foram colocados no mercado de trabalho para melhorar a gestão da propriedade. Segundo o técnico em Agronegócio, Tarcísio Fontenele, a formação deve aumentar a eficiência do mercado agrícola e Industrial. “Por meio de técnicas de Gestão e de Comercialização, e na execução de procedimentos para planejar e auxiliar na organização e controle das atividades de Gestão do Negócio Rural”, afirmou. Para o coordenador geral do PECNORDESTE, Rodrigo Diógenes, o evento superou todas as expectativas e concorda com o presidente da FAEC, de que não existe, pelo menos em nível de Nordeste, um evento que ofereça tanta informação e capacitação num mesmo espaço. São nove segmentos sendo, sete pecuários: apicultura, avicultura, aquicultura e pesca, bovinocultura, caprinovinocultura, equinocultura e suinocultura. Ele destacou ainda, a importância da participação dos produtores rurais, e entre as inovações deste ano, destacou a Apresentação de Trabalhos Científicos, a Exposição de Pássaros e o Espaço do Queijo, com oficinas de derivados do leite, com a finalidade de incentivar cada vez mais o consumo de queijo. Os 43 Sindicatos Rurais filiados à FAEC, apenas um não compareceu, mas justificou sua ausência, disse o presidente do SINRURAL de Moraújo, Elder Aguiar. Segundo ele, o PECNORDESTE deste ano abordou sobre Tecnologia e Inovação para uma Pecuária Competitiva. Diante dos desafios que o Brasil vem apresentando, o agronegócio tem sido o destaque em nossa balança comercial. Em grande parte por investir em tecnologia e inovação, aqui no Ceará, mesmo com o período de estiagens prolongadas, os produtores rurais fizeram o dever de casa, e conseguiram ser o segundo maior produtor de leite do Nordeste. O PEC é uma grande vitrine para expor e incentivar a troca de experiências, disse Helder.