PECNORDESTE: Inovação e Tecnologia

Artigo Flávio Saboya sobre os resultados do PECNORDESTE 2019

A agricultura 4.0 está exigindo constante modernização dos produtores rurais e dos sistemas agroindustriais. Não temos dúvida de que foi o empreendedorismo do produtor brasileiro, apoiado pela rede de geração de tecnologias tropicais capitaneada pela Embrapa, que colocaram a agricultura de nosso país nos patamares que hoje experimentamos. Solos ácidos corrigidos, materiais genéticos adaptados e grande aparato tecnológico em máquinas, equipamentos e produtos tornaram áreas consideradas de baixo potencial em verdadeiros oásis de produção. Avançou-se na biotecnologia e incorporou-se tecnologias de gestão e de informação.

O sistema de plantio direto eliminou a erosão e abriu caminho para sistemas produtivos integrados, inovadores sistemas de agricultura de precisão racionalizam o uso dos recursos e o entendimento sobre os processos biológicos incorpora aos sistemas de produção estratégias de controle  biológico de pragas, fixação biológica de nitrogênio, bioativadores fertilizantes organominerais, enfim, aumentos de produtividade, com sustentabilidade e qualidade nos alimentos produzidos e com números decrescentes de desmatamento.

O Seminário Nordestino de Pecuária- PECNORDESTE, promovido há 23 anos pela Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará, pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural e pelo Serviço Brasileiro de Apoio à Micro e Pequena Empresa, debateu em sua edição “Inovação e Tecnologia para uma pecuária competitiva”, durante três dias, no Centro de Eventos do Ceará.

Em toda a sua programação, que envolveu sete segmentos da cadeia produtiva da pecuária, foram apresentadas 112 ações, entre palestras técnicas, seminários, mesas redondas, workshop, oficinas e cursos de capacitação, onde essa temática esteve sendo abordada por especialistas de universidades, do Mapa, Embrapa, de Órgãos e Associações estaduais e federais abalizadas no conhecimento técnico e científico de vários estados do Brasil.

Por ser um evento de caráter técnico cientifico apresentou também uma Mostra de Trabalhos Científicos, com trabalhos produzidos pelos profissionais e estudantes, com mais de 80 banner´s expostos e um Showroom de Tecnologias Agropecuárias com as melhores tecnologias avaliadas.

O agricultor brasileiro é um inovador e aprendeu que a incorporação constante de tecnologias ao seu negócio é uma questão de sobrevivência. Nesse sentido transformou sua fazenda em Empresa Rural e o SENAR há 26 anos leva capacitação ao produtor, e, mais recentemente, está oferecendo assistência técnica e gerencial. Em um ambiente altamente competitivo, o produtor sabe que somente inovando terá sucesso em remunerar seu capital imobilizado, com controle de custos e boa rentabilidade.

Mesmo com tantos avanços, ainda há muito espaço para evoluir. A adoção de tecnologias e a cultura da inovação não estão distribuídas uniformemente entre os produtores. Trazer essa discussão à tona e criar um canal de debate e troca de experiências constituem importantes estratégias para uma agropecuária cada vez mais inovadora, competitiva e sustentável.

 

* FLÁVIO VIRIATO DE SABOYA NETO

Presidente da FAEC e do Conselho de Administração do SENAR-CE